sexta-feira, 22 de novembro de 2013

Xarles Xavier


Xarles Xavier é compositor inquieto. Sempre criando, desenvolvendo ideias e melodias. Ainda na adolescência na década de noventa, influenciado por bandas de Rock Alternativo da época como Smashing Punpkins, Radiohead e The Cramberries já contabilizava uma quantidade considerável de composições. Tudo devidamente registrado em fitas K7, através de um gravador portátil, muito comum na época. Faltava uma válvula de escape para tantas ideias. E como era de se esperar: veio a primeira banda. A Agnata surgia no final da mesma década e, em muito pouco tempo, já respondia pelo nome Incrível Mart. Shows em diversos espaços e eventos por toda Região Metropolitana Fluminense com Bar do Blues, Garage, Espaço Convés e SESC Madureira deram a Xarles a motivação que falta para seguir em frente no mundo musical.

A frente da banda Incrível Mart, onde rapidamente assumiu posição de destaque e liderança, Xarles Xavier gravou três álbuns. E as canções não paravam de surgir! Sempre uma nova composição. Material o bastante para, num dado momento, ficar claro que somente a banda não daria vazão para tantas ideias. Veio a inevitável carreira solo. Músicas como “Depois dos Fogos”, “Bem Mais” e “Canções de Outono” mostravam um Xarles Xavier diferente, musicalmente maduro. A MPB e outras vertentes passavam a figurar no hall de influências do compositor. E a pegada Rock, presente na forma inconfundível de tocar o violão, continuava a dar o tom da obra de Xarles Xavier.

Após um longo período de ensaios e experiências musicais com o músico e produtor Rafael A. O compositor apresenta novas composições e versões de canções consagradas que representam o seu vasto leque de influências. Explorando ao máximo as possibilidades do formato voz e violão a dupla passa a mostrar ao vivo, no palco, o que a mente criativa de Xarles é capaz de criar. Sem imposições ou regras na hora de compor e criar arranjos. Sem a preocupação de soar Rock, Aternativo, Indie ou MPB. Aliás, esse mesmo processo criativo deu origem a outro projeto dos dois músicos. O Projeto Mosquitos foi lançado no final do ano passado e vai muito bem no mundo virtual. Como dissemos, 2013 promete!


Xarles Xavier é artista Latitude Zero Prod.
Shows & Press: latitudezeroprod@yahoo.com.br 

sexta-feira, 15 de novembro de 2013

Raul Misturada e Mazin Silva


Neste ano de 2013 Raul Misturada e Mazin Silva estão lançando o disco Quântico. O mesmo integra as diversas nuances artísticas existentes na música regionalista brasileira e da música experimental. Todo o conceito do álbum está embasado nestes quesitos e suas letras e histórias contam vivencias do cotidiano do povo brasileiro, da natureza e contos lúdicos, que mexem com a imaginação do ouvinte. A dupla compôs e arranjou todo o disco com canções inéditas voltadas para o violão e a viola caipira.

Para maiores informações assista o Teaser do disco:
http://www.youtube.com/watch?v=zcAjZaTL8WM


Sites do trabalho e dos artistas:
www.raulmisturada.com
www.mazinsilva.com.br

sexta-feira, 8 de novembro de 2013

Mind Movies



Fruto de uma série de experimentos eletrônicos feitos pelo pernambucano Raoni Santos, o Mind Movies é o resultado da sistematização desse caos, que é permeado por camadas de sintetizadores ambientes, ruídos aleatórios e ecos de rock. Em fevereiro de 2013, o projeto teve lançado o seu debut, ‘Dreamtronica’, com 11 faixas que usam referências a lugares como ‘Ljubljana’ e ‘Guayaquil’ como referência para construir paisagens sonoras através da audição, mas também no intuito de dar ao público uma trilha para sonhos de diversas temáticas.

A proposta é a de fomentar a imaginação, memória, e qualquer outro tipo de ‘filme mental’ por meio de música eletrônica, na combinação entre o ruído do clímax e o silêncio contemplativo contido nas pausas de cada faixa, clareando os caminhos a serem percorridos em muitos universos particulares. 

Além do Dreamtronica, foram lançados o single ‘La Hombre’, que incorpora samples, e as faixas avulsas ‘Em Bloques’ e ‘Hermosa’, em parceria com o Norte-Americano Tom Lugo. Além disso, foram feitos remixes de Javiera Mena, Gustavo Cerati e Lembraille.


sexta-feira, 1 de novembro de 2013

Maria Juliana


É cantora e preparadora vocal. Atua na área de Cultura e Direitos Humanos. Já se apresentou em vários edições de projetos mostrando seu trabalho de cantora popular como Quintas Musicais, Semana Música em Performance, Festival de Música Paraibana, Estação Nordeste, Folia de Rua, Projeto Seis e Meia, São João da Gente, Caminhos do Frio, Glória Vasconcelos, MPB/SESC 2006 e 2008, Dona Bossa, CCHLA: Conhecimento em Debate, Músicas do mundo, Poesia Encenada do SESC/PB e Circuito das Praças.
Ganhou o prêmio de Artista Revelação do MPB/SESC 2006, ano em que defendeu quatro músicas no festival, levando duas à final, das quais uma é de sua autoria em parceria com Michel Costa. Obteve projeto aprovado pelo Fundo Municipal de Cultura para gravação do CD “Pétalas Vocais” o qual está em fase de gravação. Trabalhou como educadora do Centro Cultural Piollin onde ministrou a disciplina “Musicalidade Aplicada ao Circo e Teatro” (2011) para crianças e adolescentes durante um ano. Tem atuado como professora de canto e preparadora vocal de espetáculos teatrais e musicais como o Entre Quatro Paredes (2010), Do Outro Lado da Chuva (2010), Bruta Flor (2011), Luzia e o Urso de Um Olho só (2012), Flor da Paixão (2012). Atualmente é mestranda em Etnomusicologia pela Universidade Federal da Paraíba. Na área de canto lírico protagonizou óperas infantis como “Os Tamancos” (1997), e “A peste e o intrigante” (1999). Participou da montagem da “A viúva alegre” (2001). Com a Orquestra Sinfônica Jovem da Paraíba fez o concerto “Invocação em Defesa da Pátria” (2005) de Heitor Villa-Lobos e “Fantasia Coral de Beethoven” (2006). Foi solista do Coral Universitário da Paraíba (2005 a 2008). Com a Orquestra de Câmara da Cidade de João Pessoa, fez o concerto de Natal “Cânticos da Natividade” (2007) e “Festival Mozart” (2008). Cantou na trilha sonora das Paixões desta capital Maria Canta a Paixão (2008) e Paixão do Menino Deus (2009), Paixão da Sagrada Família – onde também foi preparadora vocal (2010) e Paixão do Divino Calvário (2011). A última montagem do espetáculo da tradicional Paixão de Cristo Flor da Paixão (2012) foi no formato musical, onde atuou mais uma vez como preparadora vocal. Fez solo junto à Orquestra Sinfônica da Paraíba no Festival Nacional de Arte (2008). É solista da Orquestra de Violões da Paraíba, da Camerata Arte-Mulher e do Coro São Sebastião (município de Mari - PB). Com a Orquestra de Violões gravou participação no seu mais recente CD “Orquestra de Violões canta a Paraíba”. No FEMUCIC – Festival de Música Cidade Canção em Maringá-PR (2009) apresentou uma canção sua “Ao poeta que não consegue escrever”. Ganha menção honrosa como solista revelação no 13° Festival e Mostra Maranhense de Canto Lírico (Maracanto). Em 2009 e 2010 canta em versões diversas do “Concerto de Música Barroca por alunos e professores da UFPB”. Com o grupo Camena de música barroca (2010) apresentou-se em João Pessoa e São Paulo com o concerto “Passacagle della vita”. Participa do 21° Festival Internacional de Música Antiga e Colonial Brasileira em Juiz de Fora - MG (2010) e do IX Encontro de Música Antiga de Recife e Olinda (2011). Fez parte do coro do Réquiem para um Trombone (2010 – Recife, 2011 e 2012 – João Pessoa). Foi cantora solista dos espetáculos de música contemporânea intitulado “Cantata Bruta” em outubro de 2011 na cidade de João Pessoa e dezembro de 2011 na cidade de Recife e do “Eu-Augusto” realizado em 2012 em João Pessoa. Fez o concerto “Música dos Anjos” junto à Banda 5 de Agosto (2012). Tem cantado com o grupo Yamaká de música barroca em 2013.